Um Conto Indica: Banda Matilda

Matilda é uma banda mineira formada por quatro mulheres, Juliana Stanzani, Bia Nascimento, Fabrícia Valle e Amanda Martins. Detentoras de um trabalho totalmente autoral, o grupo é responsável por arranjos capazes de remeter às células rítmicas tradicionais do Brasil numa roupagem acessível, contemporânea e sonoramente universal. Em três anos de ativa atuação no cenário musical mineiro, a Banda Matilda apresenta-se nas principais casas de Juiz de Fora, sua cidade de origem e residência, carregando em seu currículo participações em projetos de destacada relevância

Sob a memória grandiosa da tradição da canção brasileira, Matilda busca expressar-se através de letras, melodias e arranjos cuidadosos, pensados pela mulher brasileira contemporânea e globalizada que, com o olhar em mil lugares, consegue manter os pés firmes no chão. A Banda Matilda acredita na música autoral, feita a mão; expressão única de um grupo, tradução de anseios, ansiedades e desejos comuns ao humano, sendo, portanto, provocadora de inquietações capazes de despertar a cumplicidade entre a arte e o público, e a adesão completa do ouvinte à musicalidade proposta. Assim sendo, o grupo e seu repertório abarcam questões universais de identidade e representação cultural reunindo quatro vozes femininas em uma perspectiva consciente e engajada do fazer artístico.

A crença no poder sensibilizador e inquietante das canções que tece, leva a Banda Matilda à busca da difusão de seu trabalho. Em 2011, contempladas pela Lei Murilo Mendes de Incentivo à Cultura de Juiz de Fora, e sob a direção do percussionista e produtor musical Gustavo Lira, a Banda deu início à produção de seu primeiro álbum, “Patuá”, que será lançado em Novembro de 2012 no Teatro Pró-Música em Juiz de Fora. De tal modo, Matilda aposta na parceria com o poder público e privado, em iniciativas que agreguem música e público, artista e plateia, objetivando tornar o produto cultural acessível a todos. Então, para ajudar as meninas é bem simples: clique aqui e colabore com o que puder. Abaixo você confere um belo vídeo feito para a campanha.

Clicando aqui, vocês podem ouvir algumas canções no MySpace. E aqui, podem visitar o site da banda. Matildem-se!

[Fonte: site da banda]

Mixtape de Abril

Você que está chegando hoje pela primeira vez no nosso blog talvez não saiba como são feitas nossas mixtapes. Pois bem: os sete colaboradores de cada edição, além de se apresentarem e indicarem livros, também indicam uma música. Feito isto, juntamos todas elas e montamos uma mixtape, que pode sair de todos os jeitos possíveis. E a nossa fitamista de abril, inclusive, está impecável! Inicia com o belo cover de Cícero para “Conversa de Botas Batidas”, seguido por “Tô”, do mestre Tom Zé, que dá a deixa para o pessoal do Júpiter Maçã entrar com sua “Welcome To The Shade”. Pra iniciar a parte mais rock da fita, nada melhor que a surpreendente “Little Black Submarines”, da dupla americana Black Keys, acompanhada da psicolelicamente incrível “Optimistic” do Radiohead, seguida pela soturna “Love Will Save You”, do Swans. Pra fechar, o free jazz sofisticado e com ares orientais da “The Fakir”, por Carl Jader, abrindo caminho para a inexorável “Nem um dia”, de Djavan, nos incitando para, além de ler um livro num dia frio, também ouvir nossa mixtape de abril. Boa viagem!

Mixtape de Março

E a nossa fitamista de março traz, do lado brasileiro, Jorge Ben e Siba, e do lado estrangeirocomeçando num ritmo mais ameno – Slow Club – depois acelerando e pesando na guitarra – The Reconteurs, PJ Harvey, Pearl Jam e, pra “acalmar”, sir Elton John e monsieur Jules Massenet. Pra ouvir, é só clicar no player abaixo.