Mixtape de Agosto

Nossa clássica mixtape já está no ar, com as sugestões dos colaboradores de agosto. Pra abrir a sessão musical do mês, selecionamos um poema fresquinho do Diego Grando, sendo declamado pelo Alexandre Kumpinski (vocalista da banda Apanhador Só), seguida dos gritos de Gal Costa (na juventude Índia) em “Relance”.”I Call It Love”, de Emilie Simon, vem mantendo o groove com todo um clima apaixonado e setentista, abrindo espaço para a voz gostosa de Itamar Assunção  em “Custa Nada Tentar”. Glady Nights & The Pips Nicolas Jaar chegam para dar aquela aliviada, com um som instrumental / transcedental. E já que é pra matar, tem também Mercedes Sosa, prenunciando o gran finale, com a bruta flor do querer de Caetano Veloso. Os (corações) fortes sobreviverão!

A festa está pronta. É só dar o play.

 

Mixtape de Junho

A partir desse mês nossas fitamistas ganharão um toque mais, hm, poético: serão sempre iniciadas com algum poema em áudio. Para começar bem, temos Chico Buarque (aniversariante do mês) declamando “Os Inocentes do Leblon”, do Drummond (homenageado da próxima Flip). Em seguida, surgem os leves acordes da hypada “Somebody That I Used To Know”, do Gotye (confiram o belo clipe aqui), acompanhada por “Jesus, Etc.”, do Wilco, nos levando para uma cidade onde ‘voices escape singing sad sad songs’. Correndo a viagem, chegamos ao Brasil, recebidos pelo “Vampiro” de Caetano Veloso e pela “Vou me afundar na lingerie”, canção xuxu beleza de Arnaldo Baptista, que abre caminho para a interpretação arrepiante de Elis Regina em “Cartomante”, derrubando reis de espadas, ouros, paus, até não ficar nada, apenas a não menos densa “Shattering Sea” da estreante nas nossas mixtapes Tori Amos, abrindo um ciclo para que every line, curve, twist and turn of a brutal word sejam dissolvidas na experimentalista “Ionisation” de Edgard Varèse. No mais, ouçam essa que é uma das mixtapes mais harmônicas e fluídas que já tivemos por aqui. É só clicar no player abaixo e aproveitar: