Uma edição. Um colaborador. Um livro.

Aí estão os livros indicados pelos colaboradores do mês de Fevereiro. Dessa vez temos desde Dostoiévskicom Notas do Subsolo, passando por Bukowski, Henry Thoreau, Federico Garcia Lorca – com nada mais nada menos que sua obra poética completa – até João Ubaldo Ribeiro, com Viva o Povo Brasileiro e a clássica Agatha Christie. Como de praxe, fizemos uma pesquisa no Estante Virtual procurando os menores melhores preços. Gostou de algum? É só clicar e comprar. Boa leitura!

  • Diogo Almeida indica São Manuel Bueno, Mártir, de Miguel de Unamuno. “Li este livro ainda adolescente, em edição de bolso da LP&M, e nunca mais esqueci. Trata-se de um testemunho genial e sensível sobre a fé e como ela pode tomar rumos inesperados.”

.

  • Marcel Fernandes está lendo e indica Notas do Subsolo, de Dostoiévski: “Gosto especialmente da forma como o autor se apresenta sem medos. Se revelando um homem mau, rancoroso, solitário e por vezes repugnante. Suas lembranças nos fazem desconfiar das nossas, suas teses questionam os lugares comuns e nos lançam num mar de incertezas e paradoxos.”

  • Fábio Lopes indica Ao Sul de Lugar Nenhum – Historias da vida subterrânea, de Charles Bukowski. “É uma coletânea de vários contos do Bukowski, e como sempre, fala de sexo, bebedeiras, mulheres e a luta por sobrevivência numa sociedade injusta e desigual. Eu me interesso muito por contracultura e Bukowski escreve de uma forma simples, direta e engraçada. Ótimo livro. Bukowski é foda!”

  • Randolfo S. Jr. indica Walden – ou a vida nos bosques, de Henry David Thoreau. “Um relato poético e autobiográfico sobre a busca dos aspectos fundamentais da vida por meio do despojamento e da proximidade com a natureza. Uma critica a sociedade de consumo que impõe necessidades e afasta as pessoas de seus motivos essenciais.”
  • .Karline Batista indica a Obra poética completa de Federico García Lorca. “Com este livro iniciei minha jornada em busca do Pois, conhecer o legado lorquiano é viver uma experiência sui generis. Com uma linguagem simples, metafórica, rítmica e vivaz, somos reportados ora para a Granada poética, ora para o âmago do autor, que segundo ele, ‘Deixaria neste livro/ toda a minha alma./ Este livro que viu/ as paisagens comigo/ e viveu horas santas.'”ícones poéticos da literatura espanhola.  .
  • Diegho Salles indica Viva o Povo Brasileiro, de João Ubaldo Ribeiro. “É um livro que revela a alma brasileira – tão única e tão plural quanto ela só. Aponta o nosso compromisso para com nós mesmos enquanto povo diante da história e da busca por liberdade. Viva o Povo Brasileiro é um brado político-cultural da nossa literatura.”

  • Thamires Lourenço indica Assassinato no Expresso do Oriente, de Agatha Christie. “Eu o li pela primeira vez com onze anos. Considerado um dos melhores thrillers policiais da história, é protagonizado pelo ilustre detetive belga Hercule Poirot e ambientado num dos mais famosos trens da Europa. O plano era perfeito, entretanto, foi arruinado devido ao rigoroso inverno iugoslavo: a janela do morto é deixada aberta, para dar a impressão de que o assassino entrou furtivamente numa das estações durante a madrugada e se foi. Entretanto, pouco após o crime, o trem para por não conseguir atravessar a nevasca, e Poirot, tendo como suspeitos apenas os ocupantes do carro Calais-Istambul do Expresso do Oriente, os investiga minuciosamente, e desvenda aquele que é provavelmente o mais incrível crime arquitetado pela mente da Rainha do Crime.”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s