Um Conto – Edição de Dezembro

Dezembro chegou, é. Se daremos presentes? Com certeza (fiquem atentos nos nossos perfis por aí). Se tem edição especial? Meus caros, a edição de dezembro, por si só, é uma edição especial. Uma revista independente – no molde e na distribuição – chegando em sua terceira edição, com ótima receptividade real e virtual, é digna desse adjetivo, não? Pois bem. Confira abaixo os colaboradores de dezembro e pegue logo a sua pra presentear quem você gosta com uma porção portátil de literatura.

ALICE MONNERAT (conto)

Alice  não foge da regra humana de ter um monte de cismas e paranóias e gasta todo seu tempo com elas. O pouco que sobra ela divide em duas faculdades, um belo e robusto namorado e demais burocracias da vida. Se orgulha da sua coleção de soldadinhos em posição de guerrilha na cômoda e de nunca precisar se preocupar em não atingir o número mínimo de linhas. Às vezes, um dia, quem sabe, escreverá no Apanhando no campo de centeio. Acha muito lindo ter um conto na revista Um Conto.

ONDJAKI (poema)

Ndalu de Almeida, mais conhecido por Ondjaki, é um escritor angolano nascido em 1977 que vem ganhando notoriedade internacionalmente. Tem mais de 15 livros publicados, sendo os de maior destaque Bom Dia Camaradas, de 2001; a novela O Assobiador, de 2002; o livro de poesia Há Prendisajens com o Xão, de 2002; o infantil Ynari: A Menina das Cinco Tranças, de 2004, e o mais recente volume poético Materiais para confecção de um espanador de tristezas, de 2009. Em 2010 ganhou o prêmio Jabuti, na categoria juvenil, com AvóDezanove e o Segredo do Soviético. Além das letras, tem experiência com artes plásticas, teatro e cinema, tendo co-dirigido o documentário Oxalá cresçam pitangas – histórias da Luanda, que aborda aspectos de sua cidade natal. Ondjaki mora atualmente no Rio de Janeiro.

ANITA ASSIS (desenho)

Eterna jovem que não se cansa de sonhar. Ela ainda não encontrou um curso, nem um lugar, nem alguém que comportasse todos os seus sonhos e, enquanto não o encontra, continua a procurar. Neste caminho encontrou Um Conto, ou Um Conto a encontrou: que esta porta não mais se feche.

LUCAS VIRIATO (poema)

Lucas Viriato de Medeiros, carioca de 27 anos, é formado em Letras pela PUC-Rio, na habilitação de Formação do Escritor e cursa o mestrado em Literatura Brasileira na mesma universidade. Desde 2006, edita o jornal literário Plástico Bolha, que já publicou centenas de autores, entre novos e consagrados. Em 2007, estreou com Memórias Indianas (Ed. Ibis Libris) livro sobre sua primeira viagem para a Índia. Retorno ao Oriente (Ed.7Letras), livro que deu continuidade ao projeto poético sobre o leste do mundo, foi lançado no final de 2008. Contos de Mary Blaigdfield, a mulher que não queria falar sobre o Kentucky – e outras histórias (Ed.7Letras) foi sua estréia na prosa em 2010. Ainda neste ano, organizou a Antologia de prosa Plástico Bolha (Ed. Oito e meio) que reuniu no formato livro os melhores contos do jornal. Também participa do tradicional evento de poesia CEP 20.000. Atualmente mudou-se para a Fenda do Biquíni, no fundo do mar, onde escreve a sua dissertação.

DANILO LOVISI (poema)

Danilo é co-editor da Um Conto e graduando em Letras pela UFJF. Tenta descobrir qual é o som que se escuta dentro de uma Chaleira Muda, e atua esporadicamente como seu porta-voz.  Além da literatura, tem nas artes temporais as que mais lhe atingem, como teatro, cinema e música, está última muito presente – na vida e em seu processo criativo – promovendo colaborações no blog Ok!Annie. Danilo é quieto, gosta de crianças e de ouvir conversas no ônibus. Acredita que quando a humanidade atingir 8 bilhões de habitantes todos serão e terão um par.

RENAN DUARTE (poema)

Renan é graduando em Letras pela UFJF e futuro alguma coisa que ainda não sabe, mas não se preocupa. Finge escrever para não explodir. Acredita nas pessoas, nos encontros, e na literatura como uma fonte enriquecedora da experiência. 22 anos, insatisfeito, e sente saudades. Escreve no Revolucionário de Folga.

TIAGO RATTES (poema)

Tiago Rattes de Andrade nasceu em Pouso Alegre, sul de Minas, mas vive em Juiz de Fora desde os dois anos de idade. Iniciou seus escritos poéticos aos 14 anos, publicando em zines e jornais alternativos da cidade. Em 2008 lançou seu primeiro livro de poesia, A Lápide do Amor e outras poesias com recursos da Lei Murilo Mendes, de Juiz de Fora. No mesmo ano lançou o livro em Itabira, no Inverno Cultural, à convite da Fundação Cultural Carlos Drummond de Andrade. Desde 2008 integra a equipe organizadora do Eco Performances Poéticas, no Espaço Mezcla, em Juiz de Fora. No final de 2010 passou a editar o blog Botecos JF, com o objetivo de misturar literatura e boemia, tratando dos botecos da cidade de Juiz de Fora. Neste mesmo período vem ampliando sua atuação como letrista, com parcerias com músicos da cidade. Começou a publicar seus trabalhos em prosa, através do Tiago Rattes . Atualmente está editando seu próximo livro, ainda sem data para publicação. Tiago é historiador formado pela UFJF, mesma instituição onde tornou-se mestre em Ciências Sociais. Atua como professor do ensino básico e do ensino superior.
Anúncios

Um comentário em “Um Conto – Edição de Dezembro

  1. […] prendisajens com o xão, do escritor angolano Ondjaki, que inclusive participou da nossa nossa edição de dezembro de […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s